O maior inimigo do meu câncer sou eu mesmo: descubra como seu corpo pode interferir no tratamento
Logo Instituto Lado a Lado

Campanhas criadas pelo Instituto Lado a Lado pela Vida:

Logo Ser Homem
Logo Novembro Azul CAMPANHA DO INSTITUTO
LADO A LADO PELA VIDA

Parceiro Institucional
  • Parceiro Institucional
  • Parceiro Institucional
  • Parceiro Institucional
imprensa contato

O maior inimigo do meu câncer sou eu mesmo: descubra como seu corpo pode interferir no tratamento

TJCC debate reações involuntárias do organismo no combate ao câncer

Destaque - Ao ser estimulado, sistema imune ataca células do câncer e do corpo

Por Lisiane Flor - Publicado em 30 de setembro de 2015

O corpo humano é como uma máquina e funciona de forma integrada para que todas as áreas trabalhem em conjunto. Ele aprende a reconhecer substâncias e corpos que pertencem ao organismo. Essa capacidade é chamada de memória imunológica.

[saiba-mais]

Porém, da mesma  da mesma forma que protege, esse sistema pode facilitar a entrada e multiplicação das células cancerígenas, que permanecem circulando de forma aleatória. Mas como o próprio organismo pode prejudicar o corpo? Esse foi um dos temas de debate no II Congresso Brasileiro Todos Juntos Contra o Câncer, que contou com a participação do Instituto Lado a Lado pela Vida.

O sistema humano atua diariamente para manter o corpo sob proteção, como quando contrai a pele no frio e expande e transpira no calor. As vacinas também são uma forma de fortalecer o organismo e “ensiná-lo” sobre quais corpos estranhos precisa se proteger.    

Para riscos mais graves, como o aparecimento de células cancerígenas, o corpo precisa de uma ajuda, e é aí que entram os tratamentos de quimioterapia, radioterapia e hormonioterapia. Os tratamentos causam um estímulo no sistema protetor, mas toda ação provoca uma reação. Quando se estimula o sistema imune, ele se programa para atacar as células cancerígenas, mas pode acabar atacando outros lugares do corpo, como a hipófise, pulmão, tireoide, intestino, coração, entre outros.

“Por isso, essas drogas precisam ser vistas e assistidas por pessoas que saibam manejar uma reposta e também os efeitos colaterais”, afirma o Dr. Fernando Maluf, chefe da oncologia clínica do Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes.     

O paciente também pode colaborar, pois há várias formas de colaborar para o fortalecimento do sistema imunitário. Os principais meios são através da alimentação e atividades físicas. Esses cuidados aumentam a imunidade diminuindo o estresse, melhorando a produtividade de cortisona e estabilizando o estado emocional.  

O especialista também pede atenção para a percepção de que o mesmo tratamento não serve para todos os cânceres, por que cada célula cancerígena atua de forma diferente no organismo. “O futuro já é o presente. O que se sabe hoje, é que vamos caminhar para uma medicina mais individual, onde vamos entender que cada paciente e cada doença possuem características diferentes”, explica o médico oncologista. E garante que a imunoterapia é a estratégia, no presente, que mais vai se solidificar nos próximos anos.  

 

 

• • •

TJCC debate reações involuntárias do organismo no combate ao câncer



Warning: include(../../../../include/banner_lateral.php) [function.include]: failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/3/6a/0e/novembroazul/public_html/noticia_interna.php on line 248

Warning: include(../../../../include/banner_lateral.php) [function.include]: failed to open stream: No such file or directory in /home/storage/3/6a/0e/novembroazul/public_html/noticia_interna.php on line 248

Warning: include() [function.include]: Failed opening '../../../../include/banner_lateral.php' for inclusion (include_path='.:/usr/share/pear') in /home/storage/3/6a/0e/novembroazul/public_html/noticia_interna.php on line 248